quarta-feira, outubro 17, 2012

Esta crise, esta insatisfação, esta revolta que me assola, o facto de trabalhar mas estar mais miserável do que nunca, o estarmos a 17 de Outubro e de eu ainda nem ter recebido o ordenado de Setembro, de não fazer puto ideia de como vou pagar a renda da casa daqui a dois dias, ou como vão ser os próximos meses, o de ter uma filha prestes a fazer anos e de nem ter como lhe proporcionar uma festa, ou constatar que, neste momento, com esta conjuntura, toda a gente quer profissionais qualificados, do mais qualificado possível, mas a fazer tudo e a ganhar um par de botas, só me dá vontade de comer. Parece (é) um contrasenso, mas é verdade. Só me apetece comer porcarias, fazer bolos, procurar receitas na net de doces, fazer experiências, saciar esta vontade louca de colmatar a falta de sonhos e de esperança no futuro. Empaturrar-me de açucar, em grandes doses de felicidade e gordura e, por instantes, sentir-me nas nuvens.
Há quem se drogue. Há quem beba para esquecer (também já faltou mais), eu como. Pelo menos enquanto ainda tiver dinheiro para tal. É por isso que hoje vou fazer doce de tomate.

1 comentário:

Melissinha disse...

Conselho de amiga: para já :)