quarta-feira, dezembro 16, 2009

A minha mãe

A minha mãe tem o dom de me desatinar. De me azucrinar a paciência. De me pôr descontrolada como mais ninguém consegue. De me tirar do sério.
Não me interpretem mal, eu adoro-a, mas pá... ela desatina-me! Porque a minha mãe, apesar dos seus 53 anos de idade, anda a passar uma fase em que se comporta como... uma MIÚDA!!! E eu não tenho paciência para a aturar, porque já me bastam os meus problemas, a minha vida, o meu desemprego, a minha filha e marido para tratar e cuidar e ainda tenho de 'levar' com as nóias dela, as 'merdas' dela, os desatinos dela, as exigências em querer que eu seja a 'dona de casa perfeita', aquela ideologia e educação de vassalagem ao marido sobre todas as formas e que ela quer, à força, incutir-me. Hoje, a conversa descambou por causa da 'merda' do Natal. (perdoem-me as asneiras, mas quando estou assim, como estou hoje, com o estado de espírito de hoje, só me apetece dizer asneiras, porque só assim parece que alivío o peso que trago cá dentro).
Tal como esperava, o Natal será na minha casa. Não o queria, confesso. Não me apetece ter trabalho com sogras e sogros, com pais e afins, ter chatices e confusões para que tudo e todos, 'aparentemente' estejam bem. Isto porque se fosse na casa dos meus sogros, os meus pais não queriam ir, logo, tem de ser aqui a 'je', a que apanha dos dois lados, a que leva por tabela, a aparar os golpes. E claro, já suspeitava, que por causa da porcaria do Natal, eu terei de me desdobrar em mil, de andar aqui a fuçar como uma escrava do século passado, armada em sopeira e em gata borralheira, a tentar agradar a gregos e a troianos. Já sabia que por causa do Natal viriam as conversas da treta de 'limpar a casa', do 'cozinhar', do ter 'isto e aquilo feito para que a tua sogra não critique', como se eu fosse uma desorganizada, como se a casa não estivesse limpa ou arrumada SEMPRE, como se eu fosse uma adolescente que deixa roupa espalhada pelo quarto ou por onde passa, como se não soubesse gerir as coisas ou a minha vida fosse caótica. Não imaginam o que ela me abrasou a cabeça com o baptizado, as chatices que me deu, os nervos que me fez, e agora vem o Natal, pois claro, porque já se passou mês e meio sem andar a chatear-me a sério e isso já é muito tempo!
Fod***, passei-me! Tive mesmo de lhe desligar o telefone! Ela nunca mais aprende que eu já não tenho 15 anos, que não manda em mim, que eu tenho a minha própria casa para cuidar, que ela tem a dela e na minha não manda, que temos vidas separadas, que é minha mãe e não minha amiga intíma a quem eu conto os meus problemas sentimentais.
Se não é o baptizado, a casa, ou o Natal, é outra merda qualquer, é o estar desempregada, é o 'isto está muito mau', é 'não podes gastar dinheiro', é 'tens de ser meiga para o teu marido', é o 'tens de fazer assim como a mãe te diz'....
ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ
Há dias, como hoje, que só me apetece dar um berro bem alto e mandar todos dar uma curva ao bilhar grande!
É o que dá ser filha única. Se não é ela a abrasar-me a cabeça é o meu pai. Se não são os meus pais, são os meus sogros. Porra, às vezes acho que por mais que me esforce, por mais que até seja uma 'mulher convencional', que faz tudo 'by the rules', que tenho de andar continuamente a provar aos outros que eu 'sou a melhor escolha que o vosso filho podia ter feito', ou 'que sou a filha que vocês queriam ter'.
Às vezes, para não dizer, quase sempre, sinto-me sufocada. Deve ser por isso que tenho cada vez menos paciência. É por isso que o Natal me deixa sempre frustrada, que acabo por achar tudo uma grande fantochada. É a altura da família e da paz e do amor e a mim só me provoca é stress e ansiedade.
Não vejo a hora que esta altura passe. Chiça!

6 comentários:

quica disse...

Bem, já passei uma fase igualzinha com a minha mãe...da-seeeeeeeeeeeeeee! Desliguei-lhe o telefone na cara umas qts vezes até que uma vez a coisa foi de tal modo que não lho atendi durante uma semana. Qd resolvi atender disse-lhe "espero que já estejas preparada para falar comigo como deve ser!" E ela respondeu lá do outro lado com voz de ovelhinha "simmmmmmmmmmmmmmmmmmmm" LOL! Eu adoro-a mas tb já teve a capacidade de me tirar verdadeiramente do sério e não sou filha única.Mas ao mesmo tempo é minha cúmplice para eu dizer "mal" do meu namorado e sogra lol...o que nos rimos as duas. Ela por essas sempre se recusou a fazer natal na casa dela. E eu vou-lhe seguir as pisadas. Não misturo familia. Este ano é com os meus sogros, para o ano com mamãe (os meus sogros bem queriam que a minha mãe lá fosse mas eu NÃO DEIXO e ela tb não quer, ihihih! Só se viram uma vez e foi pq o pedro nasceu. Ainda hoje o Nuno não entende esta minha repulsa de ver as familias reunidas, talvez muito pouca gente entenda, mas não dá, não consigo. Eu tenho a minha familia, ele tem a dele e nós temos a nossa.

A minha mãe qd lhe dava esses acessos era pura preocupação e nunca a coisa de parecer bem, até pq ela é completamente desorganizada e eu saio a ela.

Agora estou a imaginar esse natal LOL! Se quiseres passo aí para beber um vinho e aliviar a tensão e comer uma filhó, eheheheh!

Helena disse...

O melhor mesmo é veres no site dos CTT se os correios da tua zona participam nesta campanha. Há muitos que não participam. Assim não perdes uma viagem em vão... ****

Melissinha disse...

Eu passei 27 anos disso! E hoje tenho saudades. :)
Desestressa, mulher. Só prestas contas ao teu marido e filho, quando muito.

Cá em casa eu fixei o Natal: dia 24 é cá com os meus e dia 25, lá, com os dele. Não misturo, ia ser uma trabalheira e é como dizes, o Natal tem de ser bom. Eu dantes matava-me para agradar a todos, ia inclusive a três capelinhas no dia 24, agora liguei o f....-se, como se diz lá na terrinha: quem quiser ver-nos, que apareça.

(Para quando mais um café???)

Sonhos cor de laranja disse...

Aiiiii como eu te entendo… como eu sei o que é isso e ainda nem tenho filhos… olha, nem sei que conselho te hei-de dar.

Beijinhos grandes

Márcia disse...

Olá,

Já cá estou!

Relacionamento entre mãe e filha prima sempre por atritos, segundo a linha freudiana porque existe sempre uma rivalidade latente neste relacionamento. Acho que todas as mães e filhas do Mundo tem quezílias, normalmente por formas diferentes de ver a vida…
A imposição é uma chatice, quando nos apetece é uma coisa, mas sentirmos que tem de ser, já remexe as entranhas. Nós, pela 1ª vez vamos ter o Natal cá em casa (por decisão própria) e para 18 pessoas (não sou louca, mas circunstâncias da vida levaram a que fosse assim!!!) e como tenho a mania do detalhe, já estou a antecipar muito stress e chatices, enfim…
Ainda por cima o Carlos está a sair às 20h de dia 24, logo não pode ajudar, é a minha mãe que vem cá para casa ajudar a preparar tudo.
Delega, crava para fazerem coisas e não te sintas obrigada a ter tudo perfeito…Diz o roto ao nu!!!LOL

Beijos grandes,
Márcia

Seni disse...

OLha só tu!! LOL
Acho que são todas assim. A minha como sabes está cá em casa com o Santiago durante o dia. O que me dá uma jeitão porque me organiza a roupa por exemplo que é ás toneladas cá em casa....mas está sempre a chamar-me desarrumada!! E a chamar me a atenção de outras coisas :)) Mas pior que isso é as queixas disto e daquilo... tá-se sempre a queixar a chamar a atenção :)) uma autÊntica adolescente...E são muitas as vezes que me rebenta a bolha!Coitada!